14 CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

 

Durante a realização do Trabalho de Campo, assumimos o desafio de buscar o envolvimento de profissionais de diversas áreas em diferentes níveis hierárquicos, porém todos participando direta ou indiretamente da administração do CCA do HGB.

Consideramos, sem dúvida que o grande "facilitador" durante todo o transcurso do trabalho foi a Metodologia do Ensino Baseado em Problemas (EBP).

O EBP mostrou-se bastante eficaz durante todo o processo, e a medida que o GL foi ficando mais "íntimo" e se familiarizando com as ferramentas da qualidade, as reuniões de trabalho também ficavam mais produtivas, com mais idéias e debates.

O desenvolvimento do tema - Planejamento para a Gestão dos Centros Cirúrgicos, nos permitiu enquanto alunos dirigentes, articular muitos dos conhecimentos adquiridos ao longo do curso com a prática no ambiente hospitalar, em busca dos objetivos do fazer acontecer.

Também ficou evidente no decorrer das diversas fase do trabalho a inconsistência do atual modelo de gestão do CCA ., que não é adequado, podendo-se afirmar ser um sistema de baixa responsabilidade com predomínio de resolução dos casos urgentes e da improvisação, sem um sistema de cobrança e prestação de contas por desempenho e a gerência de operação com predomínio das atividades de rotina.

As duas chefias do setor (médica e de enfermagem) praticamente não possuem nenhuma autonomia, pois o modelo político organizacional é ditado pelas chefias das clínicas cirúrgicas.

A mudança para um novo modelo de gestão, onde o CCA passe a funcionar como um sistema de alta responsabilidade, com ênfase no predomínio dos temas importantes e do planejamento, com um sistema de cobrança e prestação de contas por desempenho e a gerência operacional com predomínio da criatividade e inovação.

Ainda dentro deste novo modelo, que o CCA passe a funcionar como uma Unidade de Produção, com maior autonomia; onde o planejamento tradicional, tecnocrático seja rejeitado definitivamente.

Quando articulamos a proposta de um "novo" planejamento, estamos falando de um planejamento realista, integral e potente que seja capaz de facilitar o diálogo entre o político e o técnico fundamentado na razão técnico-política de recursos escassos e em critérios de eficiência e eficácia.

O objetivo geral do trabalho é o de melhorar o desempenho do CCA em suas atividades, e para tanto, sabemos que existe uma relação precisa entre o que Matus define como:

Estruturas mentais,

Práticas de trabalho; e

Formas organizacionais.

A principal inovação, o grande desafio, o eixo da proposta é a mudança de antigas práticas de trabalho, e sabemos também que manuais de procedimentos não criam , nem implementam estas novas práticas que por sua vez são moldadas pela cultura organizacional (estruturas mentais). No entanto, qualquer reforma organizacional é sujeita a desconfianças, resistências e é quase sempre conflitiva, exigindo uma estratégia para sua implantação.

A conclusão desta proposta é que existe uma relação muito forte entre:

 

 



Regras de Sistema de cobrança Qualidade da

responsabilidade e prestação de contas gestão

 

Todas estas considerações nos remetem a Metodologia do Ensino Baseado em Problemas e nos parece, que o "espírito" do pensamento estratégico, permeia a Metodologia do EBP, onde todos os atores envolvidos no GL analisaram, criticaram e escolheram um modelo de Gestão através da ampla utilização das Ferramentas da Qualidade.

A Problematização melhora os processos de trabalho, é participativa, cooperativa, e exige um percentual elevado de tempo gasto com atividades de ordem prática. Isto porque, para se construir um novo conhecimento que seja capaz de ser utilizado como modificador da realidade institucional, é fundamental que os profissionais tenham a certeza da sua efetiva utilização nos locais de trabalho.