HFBnet - Hospital Federal de Bonsucesso
 
Comunicação Social  Notícias |   Clipping | Vídeo | HFB Informa | Informe HFB
Home
O Hospital
Gestão
Centro de Estudos
Comunicação Social
CCIH
Ouvidoria
HFB Ciência
Sua Saúde
Links
Recursos Humanos
Programa de Diabetes


  você está aqui > Home > Comunicação Social > Notícias

10/10/2008

Cirurgia Cardíaca Pediátrica no HGB

Por Thaís Martinelli

De abril de 2002 a agosto de 2008, o Hospital Geral de Bonsucesso realizou 73 cirurgias de correção de persistência de Canal Arterial (CA), todas bem sucedidas, em pacientes considerados prematuros extremos para o procedimento de ligadura do CA. As crianças tinham em média 20 dias de vida e pesavam 920 gramas.

 

No HGB existe uma alta incidência de partos prematuros, sendo que alguns destes recém-nascidos evoluem com persistência do canal. Neste caso inicial, o mesmo é abordado por via farmacológica com a injeção de Ibuprofeno endovenosa. Já a cirurgia é indicada quando não há solução com a terapia farmacológica.

 

A técnica anestésica utilizada é semelhante à publicada por Gregory em 1973, utilizando-se de apenas fentanil e pavulon. Todos os pacientes eram provenientes da UTI Neonatal da Unidade e para lá retornaram após o procedimento. Nenhum óbito foi registrado por causa anestésica ou cirúrgica.

 

Perfil da Maternidade

 

A Maternidade do HGB é de alto risco e por este motivo recebe muitos casos de pacientes prematuros. Devido a esta situação, os bebês sofrem mais e podem ficar com o canal aberto mais tempo. Com isso, passam a ter problemas de insuficiência cardíaca e dificuldade de respirar.

                         

A cirurgia, que dura em média uma hora, tem como objetivo fechar o canal com um grampo. No procedimento é feito um corte de aproximadamente 5 cm na altura do tórax, onde participam dois cirurgiões, um médico anestesista e profissionais de Enfermagem.

 

Entenda um pouco mais sobre os casos

 

Durante a vida intra-uterina, o bebê não utiliza os pulmões para respirar, pois o oxigênio necessário é proveniente do sangue da mãe que através da placenta, o transfere para o sangue do bebê. No final da gravidez, há a produção de substâncias, chamadas de surfactantes, que têm como função a manutenção da expansão pulmonar após a primeira inspiração. Como os pulmões dos fetos não têm função respiratória intra-útero, não necessitam da mesma quantidade de sangue como após o nascimento.


Para diminuir o fluxo pulmonar sangüíneo e aumentar o sangüíneo placentário, existe uma comunicação vascular entre os dois grandes vasos que saem do coração - artéria aorta e tronco pulmonar. Essa ligação é chamada de canal arterial (CA) e se fecha algum tempo após o nascimento (cerca de 10 a 15 horas). A manutenção do CA aberto ocorre raramente em recém-nascidos (RNs) de gestação de 9 meses.


Em RNs prematuros há uma incompetência pulmonar pela falta de surfactantes, o que leva a um quadro chamado de Síndrome de Angústia Respiratória. Esta é responsável por uma insuficiência respiratória levando a uma diminuição da oxigenação do sangue, o que pode gerar um sofrimento generalizado do corpo. Muitas vezes esses bebês necessitam de respiração artificial.


Tudo isso facilita a permanência do CA aberto cuja freqüência é muito maior nesses prematuros, chegando até 30%. A persistência do canal desvia grande quantidade de sangue para os pulmões, que deveria ter sido distribuído para todo corpo. Assim, há uma sobrecarga de volume sangüíneo sobre o coração. Esse trabalho exagerado do coração levará a uma insuficiência cardíaca, que aliada à já presente insuficiência respiratória, propiciará um quadro grave, afetando os órgãos e tecidos devido à deficiência de oxigênio.


Além disso, há um maior risco de complicações graves como hemorragias cerebrais, infecções intestinais intensas, alterações nas células do aparelho respiratório (pulmões e brônquios) e morte. Por isso, o fechamento do CA nesses RNs é de extrema importância.

Voltar

21/04/2019 - INAUGURAÇÃO DE SERVIÇO

21/04/2019 - COLOCAÇÃO DE PRÓTESE FONATÓRIA

21/04/2019 - DIA DO OBSTETRA

21/04/2019 - AÇÃO INTEGRADA PARA HOSPITAIS FEDERAIS

09/04/2019 - DIA MUNDIAL DA SAÚDE

09/04/2019 - OUVIDORIA EM FOCO

 

HFBnet - Hospital Federal de Bonsucesso
Av. Londres 616 - Bonsucesso - Rio de Janeiro - CEP:21041-030

(21) 3977-9500
337302 visitantes