HFBnet - Hospital Federal de Bonsucesso
 
Comunicação Social  Notícias |   Clipping | Vídeo | HFB Informa | Informe HFB
Home
O Hospital
Gestão
Centro de Estudos
Comunicação Social
CCIH
Ouvidoria
HFB Ciência
Sua Saúde
Links
Recursos Humanos
Programa de Diabetes


  você está aqui > Home > Comunicação Social > Notícias

003/19/2012

Depilação definitiva



Cresce a cada dia o número de mulheres que escolhem a depilação definitiva – feita com laser – no Brasil. Não é segredo para ninguém que as brasileiras têm o costume de retirar os pêlos das axilas, virilhas, pernas, coxas e barriga, principalmente com gilete, cremes depilatórios ou cera. Mas esses mecanismos podem ocasionar, muitas vezes, a foliculite – uma pigmentação ao redor do pêlo que deixa a pele marcada. Com o surgimento do laser, as brasileiras encontraram um ótimo jeito de se libertar dos pêlos escuros, grossos e rebeldes espalhados no corpo todo. Mas a grande dúvida da maioria é: será que realmente funciona e é seguro?

Primeiramente é preciso entender que o laser elimina 90% dos pêlos depois da aplicação de seis sessões, o recomendado para obter um resultado bom. O chefe de dermatologia do Hospital Bonsucesso, ligado ao Ministério da Saúde, Paulo Cotrim, explica: “Definitiva na sua plenitude não é verdade. Você reduz até 90% dos pêlos porque sempre ficam alguns que não foram atingidos pela ação da luz. No começo os pêlos estão mais grossos e na medida em que vai batendo o laser naquele local, eles vão ficando mais finos. De tempos em tempos é preciso fazer a manutenção. Mas é fantástico? É fantástico. Essa depilação veio como uma revolução”.

A depilação com laser precisa ser realizada uma vez por mês, com o intervalo de 30 dias. Além disso, é preciso ficar atento: dez dias ou uma semana antes da aplicação do laser, a pessoa não deve ficar exposto ao sol para evitar alteração na pigmentação da pele no local. “Ressalto que o profissional a realizar o processo tem que ser um dermatologista, porque ele conhece bem o tipo de pele de cada pessoa e qual a intensidade de luz que vai aplicar sobre o pêlo para evitar queimadura”, explica o médico. Cotrim detalha ainda que a pessoa não pode ir à praia depois e recomenda que o paciente volte de três a seis meses a se consultar com o profissional para verificar se precisa de algum retoque.

Segundo o dermatologista, o único efeito colateral grave são as queimaduras provocadas pelo uso inadequado do laser. “Os efeitos colaterais são a nível local decorrentes dessas queimaduras. Mas efeito sistêmico, como gerar câncer futuramente ou um problema cardíaco, isso não existe. A luz é endérmica, ou seja, ela vai até a derme e não passa dela”, esclarece Cotrim.

A servidora pública, Andréia Santana, começou a realizar sessões de depilação a laser nas axilas e virilha há seis meses e está gostando muito do resultado. “Como eu tenho muitos pêlos, o resultado é bom. Eu tenho alergia à lâmina e com a depilação a laser eu passo uns 40 dias sem precisar me preocupar com os pêlos. No início eu fiquei achando que não iria dar muito resultado. Mas nas axilas, por exemplo, o pêlo quase não nasce. 100% não acabou, mesmo assim ainda estou no lucro. O melhor é a facilidade no dia a dia, é muito mais fácil, mais prático. Como tenho alergia à lâmina, tinha que fazer com a cera e aí encravava mais e tinha que esperar mais tempo para poder tirar. Para mim está sendo maravilhoso”, detalha a servidora.

Fonte: Mônica Plaza, em 13 de março de 2012 / Web Rádio Saúde

Voltar

09/04/2019 - OUVIDORIA EM FOCO

09/04/2019 - DIA MUNDIAL DA SAÚDE

05/04/2019 - NOTA ABERTA À POPULAÇÃO

30/11/2018 - PREOCUPAÇÃO COM A PROTEÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

09/11/2018 - DOAÇÃO DE SANGUE NO HFB

09/11/2018 - Novembro Azul conscientiza homens para prevenção do câncer de próstata.

 

HFBnet - Hospital Federal de Bonsucesso
Av. Londres 616 - Bonsucesso - Rio de Janeiro - CEP:21041-030

(21) 3977-9500
349027 visitantes