HFBnet - Hospital Federal de Bonsucesso
 
Comunicação Social  Notícias |   Clipping | Vídeo | HFB Informa | Informe HFB
Home
O Hospital
Gestão
Centro de Estudos
Comunicação Social
CCIH
Ouvidoria
HFB Ciência
Sua Saúde
Links
Recursos Humanos
Programa de Diabetes


  você está aqui > Home > Comunicação Social > Notícias

10/19/2012

Dia de conscientização da Doença de Parkinson no HFB



Texto e foto: Fábio Borges

O Hospital Federal de Bonsucesso recebeu nesta quinta-feira (18/10/2012), de 9h às 12h, Na Praça da Liberdade, profissionais da Associação Parkinson Carioca (APC) que, em conjunto com acadêmicos de fisioterapia da Unidade, coordenados pela fisioterapeuta Luciene de Paula Lemos, distribuíram material informativo e prestaram esclarecimentos à população sobre a doença. Os profissionais também visitaram as salas de espera e ambulatórios do Hospital. O evento foi uma atividade pré Congresso Brasileiro de Fisioterapia Neurofuncional, em parceria com a Associação Parkinson Carioca. O HFB foi um dos pólos de instrução e orientação à população sobre a doença, com o apoio da Coordenação de Atenção Comunitária e Voluntariado (CACVOL).

Por sua baixa incidência, muitas vezes o diagnóstico precoce do Parkinson, que é fundamental, fica prejudicado. “A dificuldade ao andar, a falta de equilíbrio, a lentidão de movimentos e tremores nas mãos, nem sempre fazem parte do processo natural da velhice. Na presença desses sintomas, a pessoa deve procurar um neurologista para estabelecer o diagnóstico”, alerta Wilma Costa Souza, diretora da Associação Parkinson Carioca e presidente de honra do II Congresso Brasileiro de Fisioterapia Neurofuncional (Cobrafin), que acontecerá entre os dias 15 e 17 de novembro, no Hotel Windsor Guanabara (Clique aqui para mais informações sobre o evento).

Segundo Wilma, mesmo sem haver uma cura para o Mal de Parkinson, doença de evolução crônica, progressiva e degenerativa do Sistema Nervoso Central, “o tratamento com remédios e fisioterapia podem reduzir os sintomas e melhorar sobremaneira a qualidade de vida do paciente”. Ela ainda enfatiza que “o papel da família é fundamental no cuidado e no apoio ao paciente que, invariavelmente, evolui para um quadro de dependência muito grande - inclusive com perda de expressões faciais”. O paciente com a Doença de Parkinson também tende a falar mais baixo e buscar o isolamento, mesmo sem perder a cognição, o que torna ainda mais importante o auxílio dos familiares.

Lucia Maria Gil, fisioterapeuta e presidente da Comissão de Organização do II Cobrafin, fala sobre o que a levou a trabalhar com estes pacientes. “O que nos motiva é a causa em si; ver a obstinação dos pacientes durante a convivência com eles chega ser apaixonante. Nós chegamos a dividir suas angústias, pois não é apenas um caso de atender e ir embora”, relata Lucia, que cita como exemplo dessa cumplicidade o auxílio em tarefas simples como o ato de tirar a camisa. “Além do tratamento, a APC também realiza festas, passeios e principalmente a aproximação com os familiares - como netos que não entendem bem a situação e precisam conversar uns com os outros, por exemplo”, conta a fisioterapeuta e também diretora da Associação Parkinson Carioca. “A doença não tem cura, mas, definitivamente, as pessoas podem ser felizes mesmo com o Parkinson”, conclui.

Este trabalho teve início há 12 anos com a inauguração do Serviço de Fisioterapia Neurofuncional no Centro Municipal de Reabilitação do Engenho de Dentro. Há quatro anos, um grupo que se organizou a partir deste Centro e resolveu criar a Associação e ampliar o raio de alcance para conscientizar e prevenir a população, além de auxiliar no tratamento dos portadores da doença.

Patty Barcelos, acadêmica do HFB, conta a experiência do contato com os usuários durante o evento no Hospital. “Percebi que as pessoas estavam interessadas em saber mais sobre a doença. Mesmo tendo uma incidência baixa, encontramos muitas pessoas que conhecem ou que já tiveram alguém na família com a doença”, conta a estudante da UFRJ.

Geraldino Barros Silva, paciente do Hospital que se interessou pelo evento, revelou que “às vezes sinto meu dedo indicador tremer involuntariamente enquanto estou assistindo TV”. Além de receber as informações sobre o Mal de Parkinson, Geraldino foi consultado sobre outros sintomas pela equipe de fisioterapeutas e orientado a procurar um neurologista para avaliar seu caso o mais breve possível. Para saber mais sobre a Associação Brasileira de Fisioterapia Neurofuncional e o II Cobrafin, basta entrar em contato pelo email: contato@abrafin.com.br ou acessar o site www.abrafin.org.br

Mais detalhes sobre o trabalho da APC, envie mail para: contato@parkinsoncarioca.com.br, ou pelos telefones (21) 3111-7342 e 2595-7522, de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h. Visite também o website www.parkinsoncarioca.com.br.

Para mais informações sobre o Serviço de Fisioterapia do HFB, entre em contato pelo telefone 3977-9892 (ramal 9892)

Voltar

09/04/2019 - OUVIDORIA EM FOCO

09/04/2019 - DIA MUNDIAL DA SAÚDE

05/04/2019 - NOTA ABERTA À POPULAÇÃO

30/11/2018 - PREOCUPAÇÃO COM A PROTEÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

09/11/2018 - DOAÇÃO DE SANGUE NO HFB

09/11/2018 - Novembro Azul conscientiza homens para prevenção do câncer de próstata.

 

HFBnet - Hospital Federal de Bonsucesso
Av. Londres 616 - Bonsucesso - Rio de Janeiro - CEP:21041-030

(21) 3977-9500
279532 visitantes