HFBnet - Hospital Federal de Bonsucesso
 
Comunicação Social  Notícias |   Clipping | Vídeo | HFB Informa | Informe HFB
Home
O Hospital
Gestão
Centro de Estudos
Comunicação Social
CCIH
Ouvidoria
HFB Ciência
Sua Saúde
Links
Recursos Humanos
Programa de Diabetes


  você está aqui > Home > Comunicação Social > Notícias

11/10/2004

Dia Nacional da Surdez

Nesta quarta-feira, 10 de novembro, foi comemorado o Dia Nacional da Surdez. Segundo a Sociedade Brasileira de Otologia, cerca de 70% dos 10 milhões de brasileiros com mais de 65 anos têm deficiência auditiva e não procuram assistência médica por preconceito. O Dr. Heraclio Vilar Ramalho Cavalcanti, chefe do Serviço de Otorrinolaringologia do HGB, falou da importância de tratar o idoso que sofre de deficiência auditiva: “quando ele começa a não escutar bem, se isola e fica deprimido. As pessoas precisam falar alto com o surdo, e isso cansa. Ninguém fala durante muito tempo com o surdo, o que gera um isolamento. A audição é muito importante para a socialização do indivíduo”, afirmou o médico.

Segundo Dr. Heraclio existem três tipos de perda auditiva: condução, percepção e mista. A condução, também conhecida como transmissão, é a única reversível em que o paciente passa por cirurgia ou tem tratamento clínico, e “pode ocorrer pela perfuração do tímpano, ou pelo acúmulo de cera”, exemplificou o especialista. A de percepção, ou neurosensorial, é irreversível e ocorre pelo uso de certos medicamentos, como a Gentamicina e a Estreptamicina – antibióticos utilizados no tratamento da pneumonia e da tuberculose, respectivamente – ou são casos de PAIR (Perda de Audição Induzida pelo Ruído), como as adquiridas por profissionais que trabalham locais de alta incidência de barulho.  Já a mista é quando os outros dois tipos ocorrem simultaneamente, como na otosclerose – doença do ouvido médio, que se caracteriza por uma ossificação anormal da caixa do tímpano, que se desenvolve com o decorrer dos anos e pode levar à surdez.

 

Prevenção ainda é o melhor remédio

 

O médico informou que nos casos dos idosos a deficiência auditiva é geralmente irreversível e exige o uso de aparelhos. Porém os considerados de boa qualidade custam, em média, R$ 4 mil. Por causa disto, “a prevenção ainda é a melhor alternativa. A surdez começa nas freqüências mais agudas, e as pessoas não percebem. Se isso for detectado em uma audiometria, podemos impedir que a lesão se agrave”, justificou Dr. Heraclio.

 

O especialista ressaltou a importância da prevenção ainda na infância. Primeiro com o pré-natal, e depois com o teste da orelhinha: “nesse teste um aparelho faz emissões acústicas, para que se possa descobrir se o recém-nascido tem deficiência auditiva. Com isso, podemos prevenir o aumento da deficiência”, adverte Dr. Heraclio.

Voltar

09/04/2019 - OUVIDORIA EM FOCO

09/04/2019 - DIA MUNDIAL DA SAÚDE

05/04/2019 - NOTA ABERTA À POPULAÇÃO

30/11/2018 - PREOCUPAÇÃO COM A PROTEÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

09/11/2018 - DOAÇÃO DE SANGUE NO HFB

09/11/2018 - Novembro Azul conscientiza homens para prevenção do câncer de próstata.

 

HFBnet - Hospital Federal de Bonsucesso
Av. Londres 616 - Bonsucesso - Rio de Janeiro - CEP:21041-030

(21) 3977-9500
349389 visitantes